..............................................................................................................................................

Dúvidas mais freqüentes:
 
1) O que faz um Sindicato de Empresas de Ônibus, como o Setrerj?
O Setrerj representa 30 empresas de ônibus de sua base territorial, que compreende seis municípios. O papel do Setrerj é representar o interesse dessas empresas perante a sociedade e estimular o desenvolvimento do transporte rodoviário por ônibus nesses municípios.

2) Por que costuma se dizer que as empresas de ônibus operam em um regime de permissão?
Porque o serviço é permissionado pelo governo. Ou seja, as empresas não são “donas” do serviço, nem das linhas. Apenas operam sob permissão do governo.
 
3) Quem define as tarifas, as linhas e os itinerários dos ônibus?
É o Governo, ou Poder Concedente. No caso das linhas municipais, são as Prefeituras locais ou as secretarias municipais. Já nas linhas intermunicipais, são órgãos, como o Detro, no Rio de Janeiro.
 
4) Precisamos de uma nova linha de ônibus, que atenda a nossa comunidade. A quem devemos apresentar a sugestão?
A sugestão deve ser apresentada à Prefeitura, ou ao órgão responsável pelo transporte no seu município, que pode ser a Secretaria Municipal de Transportes, e que deverá fazer estudos e pesquisas para levantar a necessidade e a viabilidade do atendimento. Se concluir que precisa criar uma linha nova, será aberta uma licitação para escolha da empresa que vai operá-la.
 
5) Como são definidas as tarifas dos ônibus?
As tarifas são calculadas pelos governos a partir de uma planilha em que são considerados diversos fatores, como o salário dos rodoviários, o preço do óleo diesel e dos pneus, o preço dos ônibus, os gastos com oficina, os impostos, a quilometragem percorrida pelos ônibus e a quantidade de passageiros que pagam a passagem, entre outros.

6) Quem tem direito a viajar de graça nos ônibus?
Embora dependendo da indicação das fontes de custeio pelos governos em geral, têm direito à gratuidade os estudantes da rede pública de ensino fundamental, os idosos e as pessoas portadoras de deficiência que dificulte a locomoção.
 
7) Quem paga as passagens das pessoas que viajam de graça?
O preço das passagens é o resultado da divisão do custo do transporte pela quantidade de passageiros que pagam. Exatamente igual ao rateio da despesa por um grupo de pessoas que se reuniu para comer uma pizza e tomar uns chopes. Portanto, são os passageiros pagantes que são onerados pelo chamado “transporte gratuito”. Portanto, quanto menos pessoas pagarem, maior será o valor das passagens. Como, em geral, é o trabalhador e a dona- de- casa – que não têm automóvel - o maior contingente de pagantes, são eles os maiores prejudicados.
 
8) E quem tem o dever de pagar as passagens das pessoas que viajam de graça?
A Constituição Federal, a Constituição ESTADUAL, A Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a Lei Orgânica da Previdência, as Leis Orgânicas dos Municípios são claras: quem tem a obrigação de pagar são os governos que, para isso, arrecadam os impostos.
 
9) Percebi que existem lugares reservados nos ônibus. Quem tem direito a sentar neles? Posso sentar-me ali também?
Os lugares são reservados para idosos, deficientes físicos e senhoras grávidas. A propósito, as senhoras grávidas podem embarcar pela porta da frente, mas devem pagar a passagem. Os demais passageiros não estão impedidos de sentar naqueles lugares. Apenas devem ceder o lugar para quem tem direito, quando for necessário.

10) É permitido fumar dentro do ônibus? Vejo muitas pessoas fumando.
Não é permitido fumar dentro do ônibus. Mas infelizmente algumas pessoas não respeitam o fato de estarem em um ambiente fechado e fumam mesmo assim. Conforme a legislação estadual e municipal, o motorista deve pedir auxílio policial no caso de não ser atendido no pedido para que o passageiro pare de fumar.
 
11) Posso utilizar vale-transporte de qualquer valor para pagar a passagem?
O Vale Transporte é um benefício trabalhista que tem o objetivo de evitar que o trabalhador gaste mais de 6% do seu salário com transporte. Portanto, o valor do Vale Transporte que o patrão tem obrigação de dar ao empregado é o mesmo valor da tarifa do transporte necessário para o deslocamente casa-trabalho-casa. Se o empregado informa valor maior da tarifa, está enganando o patrão e estará sujeito às conseqüências do seu ato. Em resumo, não há obrigação de receber vale-transporte de valor superior ao preço da passagem.
 
12) É verdade que os ônibus não são os veículos que mais poluem o meio ambiente?
É verdade. Hoje, as empresas de ônibus do Estado do Rio de Janeiro participam de projetos com o objetivo de racionalizar o uso de combustível e reduzir significativamente a emissão de poluentes pelos motores dos ônibus.

topo
l
voltar